domingo, 25 de outubro de 2015

Entrevista Jade e Paola

Olá.
Cerca de um mês atras precisei fazer um trabalho para a faculdade cujo tema era livre, decide abordar o movimento LGBT. Começou a correria sobre quem eu iria entrevistar, as escolhidas foram a Jade e a Paola.


As duas tem um canal no Youtube para mostrar o relacionamento, o mais legal é que elas mostram com simplicidade, percebemos todo o amor apenas pela forma que elas se olham, um dos comentários que sempre leio é "encontre alguém que te olhe como a Jade olha para a Paola", é exatamente isso que elas mostram em seus videos, mostram a pureza do amor, que não são diferentes, mostram que o amor é base de um relacionamento e que as vezes um olhar diz mais do que um "eu te amo".
Para quem não conhece o canal é só clicar aqui



Então, vamos a parte mais importante, a entrevista.

1- O que as motivou a criar o canal?

Jade: A gente criou o canal por acaso só pra responder algumas perguntas que nos pediam na época e a gente não tinha nenhum intuito de continuar, até porque naquela época não era muito comum casal gay, lésbica, enfim, fazer canal mostrando seu relacionamento.

2- Por que vocês acham que o canal cresceu tanto?

Paola: Acho que houve uma necessidade das pessoas que descobriram sua sexualidade ver outras pessoas, casais, e perceber que era algo normal, ter uma representatividade nesse meio e também de pais que estavam lidando com esse tema e queriam saber mais sobre, como nós mostramos nosso dia a dia, viram que também era algo normal.

3- Do início até agora, a quantidade de comentários negativos diminuiu ou aumentou?

Diminuiu, antes eram muitos comentários negativos mas conforme a gente não foi se importando foram diminuindo muito, as pessoas acabam vendo, se tem comentário negativo acaba atraindo mais, as pessoas acabam se juntando mais pra fazer, como a gente meio que bloqueia, não deixa aparecer, não se importa ou não deixa muito aparecer o primeiro comentário acho que o resto acaba não vindo.

4- Vocês acham que o publico LGBT tem conquistado mais espaço na internet?

Paola: Com certeza, o que era antes um tabu, hoje finalmente está se tornando parte da sociedade como algo normal, o que se reflete também em como as pessoas tratam os homossexuais na vida real.

5- Vocês acompanham outros canais ou páginas que falam desse assunto?

Jade: Não muito, nós somos inscritas em só alguns canais com casais gays mas eles mostram mais o dia a dia deles.

6- Através dos comentários que vocês recebem ou leem em outras paginas vocês acham que a quantidade de pessoas que aceitam tem aumentado?

Paola: Recebemos bastante mensagem de pais ou pessoas da família que começaram a ver os nossos videos e aceitaram mais o movimento e a gente recebe muitos elogios de pessoas héteros e casadas que antes eram muito preconceituosos e hoje não são mais por causa dos nossos videos, eles veem que não é algo fora desse mundo.

7- Já sofreram preconceito na rua? como foi?


Jade: Já, mas a gente não se importa muito e a gente finge que não é com a gente e acabou diminuindo. As pessoas que mexem com a gente estão sempre em grupo ou super longe mas nunca sozinhos, eles passam do nosso lado e começam a falar "nossa que desperdício" falam que a gente é anormal mas nunca ninguém encostou na gente ou foi mais agressivo, é mais provocação.
Paola: Sim, é mais de longe.

8- O que normalmente dizem sobre o relacionamento de vocês negativamente?

Jade: Falam que não é verdadeiro, que é só uma fase, que a gente precisa de homem na nossa vida, é tudo mais relacionado com a falta de um homem verdadeiro pra deixar a gente assim, sempre pega nesse ponto, o que é muito engraçado na verdade.

9- Acham que o homossexualismo deveria ser mais discutido?

Paola: Com certeza, todas as pessoas com preconceitos nunca tiveram realmente contato com homossexual, nunca viram o dia a dia deles, não sabem que a vida deles, a nossa vida, é normal também, quanto mais as pessoas saberem, melhor vai ser. A gente também trabalha, a gente vai atrás do nosso ganha pão e quando chegamos em casa a gente também tem alguém pra amar. O amor não é diferente, não tem cor, não tem crença, não tem idade, o amor simplesmente é.

10- A câmara dos deputados aprovou o estatuto da família, o que vocês pensam a respeito?

Jade: A votação dessa lei não foi muito divulgada, apesar do pessoal LGBT estar querendo fazer um movimento para as pessoas saberem acabou sendo um compartilhamento que a gente fazia entre a gente, as pessoas não sabiam que elas tinham o direito de votar. A gente entende que muita gente dentro do congresso não é a favor das pessoas LGBT, a gente tem um congresso que é muito conservador e até de religiões que são contra então fica muito mais fácil essa manipulação do jeito que a gente vê. Família não é apenas um homem e uma mulher, família é aquela que te apoia, que está sempre com você, tem amor, independente do sexo, identidade de gênero e tal. É muito fácil colocar uma lei falando que é assim, que uma família é só isso e eles não entendem o quanto isso pode impactar na vida de um casal, na vida de alguém que quer adotar uma criança, enfim, é uma lei que muita gente entende que não precisa lutar contra por "ai tanto faz eu sou hétero, não preciso lutar contra" mas é algo que impacta muito na vida de todos.

Agradeço de coração as duas, são muito simpáticas e um amor de pessoa, então se inscrevam no canal delas e façam parte desse amor todo que elas mostram ao mundo.

<3

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Crescer...

Um dia, você acorda e pode fazer tudo aquilo que antes (legalmente) não podia, comprar bebida, dirigir, entrar em baladas, ser livre! Será?


Quando se tem catorze ou quinze anos costumamos dizer que não vemos a hora de se tornar maior de idade, de fazer dezoito anos, etc... Achamos que ao chegar a essa idade tudo vai mudar, não precisaremos dar satisfação aos nossos pais, sair no horário que quiser, voltar o horário que quiser, ser dono do próprio nariz porém não é bem assim que acontece.
Hoje eu tenho vinte anos, trabalho, estudo, não tenho a vida social que eu achava que teria aos vinte, a gente imagina uma vida diferente, imaginamos chegar da balada as cinco da manhã no sábado, voltando pra casa de táxi porque não conseguiríamos dirigir nosso próprio carro até a Avenida Paulista onde fica o nosso apartamento quando na realidade no sábado de manhã estamos dormindo pós trabalhar na sexta, ir para a faculdade, chegar em casa mais de meia noite porque o metrô quebrou e você mora longe demais do centro, tomarmos um banho e dormir horas depois de revisar toda a matéria para as suas provas e fazer aquele trabalho em grupo que você fez sozinha.
Nós dizemos também que aquela amiga que dormia na sua casa e você na dela, que compartilhava todos os segredos vai ser pra sempre, que ela vai ser madrinha do seu casamento com o namoradinho da época e dos três filhos lindos que vocês planejaram ter e na realidade vocês raramente conseguem se ver, a agenda é apertada, o horário que ela sai do trabalho você vai precisar fazer hora extra e quando marcam de sair na sexta você descobre que vai ter prova, o namoradinho da época você nem lembra mais o nome, provavelmente deve estar casado e ter os três filhos que vocês planejavam com outra, enquanto você nem pensa em casar e muito menos ter filhos.
Você pensa que vai viajar muito, todos os feriados prolongados vai para um lugar diferente, Rio, Campos do Jordão, Maresias, Salvador... Quando na verdade o único lugar que você realmente vai é para o litoral sul de vez em quando porque tem algum amigo que mora lá.
Crescer é muito mais legal quando você só imagina, porque costumamos imaginar para as nossas vidas apenas coisas boas, na realidade é nessa hora que você começa a caminhar com os próprios pés, ir atrás do que você quer para a sua vida, ter um objetivo e traçar seu caminho até ele, até alcançar não vai ser fácil, o metrô vai quebrar, a melhor amiga vai te esquecer, terão as DPs da faculdade, empregos ruins mas tudo isso faz parte pois ninguém começa do topo, a vida é uma caminhada. As responsabilidades aumentam, pagar as próprias contas, trabalhar, metas, você até tem essa tal liberdade que sonhava porém ela não é tão livre assim, mas é uma fase da vida que todo mundo um dia vai passar.
<3

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Chá das Loucas

Oi gente, é eu sumi mas voltei, estou sofrendo um super bloqueio criativo então está meio difícil criar posts (aceito sugestões nos comentários), o que importa é que estou aqui agora. Hoje vim falar de um brechó muito bom, com roupas super gatas que está no ar a pouco tempo, o Chá das Loucas.


O brechó é da Marina, do blog The Trashion, que já falei inúmeras vezes aqui, enfim, pra quem curte roupas legais e não tem muito money é uma ótima dica, pra quem tem muito dinheiro é uma ótima dica também, pra quem quer roupas legais é uma ótima dica também e se você estiver entediado entra lá, é uma ótima dica também HAHAH
Ai estão algumas peças que vocês podem encontrar por lá:





E ai? Gostaram? tem muito mais aqui, pra curtir a página é só clicar aqui.
Beijos <3

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Dica de livro: De Volta aos Quinze

Bom, a Bruna Vieira do blog Depois dos Quinze lançou o seu segundo livro, o De Volta aos Quinze, como li o primeiro, gostei e fiz a resenha aqui para o blog, com esse não poderia ser diferente.


O De Volta aos Quinze é o primeiro livro da trilogia "Meu Primeiro Blog", conta a história de Anita, uma mulher de trinta anos que perdeu completamente o controle da sua vida, mora sozinha em São Paulo, trabalha em um emprego chato, não tem muitos amigos e bom, essas coisas. Anita fez todas as escolhas erradas na sua vida, até ai parece uma história perfeitamente normal até que após receber um e-mail de uma amiga pós um desastre causado por ela no casamento da irmã ela vê a sua vida mudar e percebe o quanto suas escolhas podem afetar o seu futuro. No e-mail que Anita recebe contém o link do seu antigo blog que inclusive só tinha uma postagem, ao acessar a página ela acaba de uma forma inexplicável voltando aos seus quinze anos e nisso ela faz escolhas que mudam completamente o presente.
O livro é um romance, vindo da Bruna isso já é meio obvio, não vou entrar em detalhes pra não estragar a história mas posso garantir que o livro é bem legal, cheio de momentos que você solta um "aawn" involuntariamente. Para acompanhar a história é bem legal selecionar uma playlist com musicas românticas para entrar completamente no clima.
Confesso que nos primeiros capítulos o livro não estava me chamando muita atenção mas depois de um tempo não da nem vontade de parar de ler HAHA. Agora é só esperar até a dona Bruna lançar o próximo para sabermos quais serão as escolhas da Anita.
E ai, vocês que já leram, Joel ou Henrique? Quem vocês acham que a Anita vai escolher?
Beijos <3


quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Terror!


Vera Farmiga em cena de 'Invocação do mal' (Foto: Divulgação)

Do mesmo diretor de Jogos Mortais, o filme Invocação do mal que estreou na última sexta feira 13, conta a história real de um casal que investiga casos paranormais no século XIX. O casal investigador é chamado por uma família pra investigar coisas estranhas que estão acontecendo na casa para onde se mudaram, como por exemplo portas abrindo sozinhas, odores vindos de alguns cômodos. O filme foi sucesso nos Estados Unidos e aqui no Brasil por enquanto as críticas são boas. Assista o trailer:



segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Dica de livro: Quem é você, Alasca?

Essa com certeza é uma das resenhas que mais tive dificuldade em desenvolver e o motivo é bem simples, não sei dizer a vocês do que se trata o livro, não pode ser considerado um tipico romance adolescente do John Green assim como "O Teorema Katherine" e "A Culpa é das Estrelas", nem sei se pode ser considerado um romance adolescente.


Comecei a ler o livro várias vezes e nunca me interessei verdadeiramente por ele, não no começo, as primeiras páginas contam histórias de adolescentes de um colégio interno que não gostam muito de obedecer regras, adolescentes normais, problemas normais.
Existem livros de todas as formas, engraçados, tristes, que te fazem refletir, existe aqueles que te deixam com um gostinho de quero mais e existem os que são como esse, que tem de tudo um pouco.
A história é a seguinte:
Todo mundo tem algo em que é bom, ou pelo menos quase todo mundo, muitos de nós colecionamos coisas, Miles Halter colecionava ultimas palavras, cansado da sua vida chata e sem amigos na Flórida e resolve entrar em um colégio interno, Culver Creek, no Alabama.
Lá ele faz alguns amigos, poucos porém mais do que na Flórida, além desses amigos ele conhece uma garota chamada Alasca, misteriosa, animada e ao mesmo tempo triste, muito bonita, cheia de segredos e a pergunta é: Quem é você, Alasca?
No decorrer da história tentamos descobrir quem exatamente é a Alasca, o que a leva a agir como ela age e no final, não conseguimos descobrir.
O livro leva a uma certa reflexão sobre a vida, sobre a morte, concluindo que a vida é uma labirinto e as vezes criamos e acreditamos em coisas que nos ajudem a encontrar a saída.
Antes de comprar o livro, ao ler algumas resenhas, encontrei essa, que diz exatamente o que eu senti ao ler o livro:

"Existem livros que te fazem ver que a vida é engraçada e você morre de rir de situações imprevisíveis e hilárias. 
Existem livros que vão te fazer morrer de amores por um garoto ou por uma garota e ver que a vida é uma eterna busca pelo grande talvez, aquela possibilidade intrínseca de ver que a vida vale a pena, que você tem amigos, família e pessoas que você ama e que te amam.
Existem livros que vão fazer você se debulhar em lágrimas, vão fazê-lo ficar horas se perguntando qual é o real sentido da vida, se existe esperança e qual o objetivo em continuar vivendo. 
Existem livros que vão te encher de duvidas em relação a tudo em que você tinha convicções fortes e formadas e te deixarão perplexo diante da sua incapacidade de compreender tudo.
Existem livros que não vão te dar uma resposta mas vão te mostrar um caminho para ela, um caminho de esperança em construir um sentido e não se sentir tão perdido assim no labirinto da vida.
Existem livros que vão te encher de esperança na possibilidade de não se desesperar para sair do labirinto rápido e diretamente e sim fazer com que você lute pela busca de um grande talvez e a partir dele encontre sua saída do labirinto.
Existem livros, vários livros. Este livro do John Green foi o que melhor me mostrou tudo isso e muito mais.
Então, ignore o fato de achar a capa ou o nome feios ou 
incompatíveis  a beleza da história está a partir da primeira página, quando você é convidado para juntamente com Miles ir em busca do grande talvez, e acaba indo para Culver Creek, um internato onde conhece seus melhores amigos - Coronel, Takumi, Lara - e o amor da sua vida - Alaska."



Wrecking Ball - Miley Cyrus

Nesta segunda, Myley lançou seu novo singl"Wrecking Ball". No clipe, ela aparece totalmente nua e também "sensualizando" com um martelo haha.


Saudades Hannah Montana!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...